Tags conteudo

Contéudo para os motores de pesquisa 4

A web está sobrecarregada de recursos sobre SEO. Mas nem sempre podemos ter acesso a conteúdo escrito por Brian Clark do Copyblogger. Ele publicou um PDF de 29 páginas em que ensina ou dá dicas sobre como escrever conteúdo que fica bem posicionado nos motores de pesquisa.

O bom deste relatório é que é completamente grátis nem obriga a fazer nenhum tipo de registo. Podem aceder em How to create compelling content that ranks well in search engines. Já fiz download e já li parte do conteúdo.

Para quem prefere conteúdo pago e igualmente de qualidade, recomendo o Digging into wordpress. Trata-se de um livro, que pode ser comprado em formato electrónico ou também impresso e que trata todos os aspectos do wordpress, desde o funcionamento básico, até capítulos completos sobre a criação de themes, optimização para motores de pesquisa, comentários, manutenção, etc. São 400 páginas que valem bem o preço do livro.

Gosto especialmente das sugestões que fazem de plugins e do tratamento avançado de diversos temas. Ainda não li tudo, mas já me foi bastante útil nas optimizações que tenho feito em alguns dos meus sites. Recomendo.

2009 revisitado 8

Está mais um ano a terminar e como vem sendo habitual vou partilhar aqui um balanço do ano 2009 relativamente aos temas que abordei aqui no tolnetwork. Foi certamente um ano em que escrevi menos aqui, mas não foi por falta de interesse. Estive muito mais dedicado a outros projectos que procurei desenvolver. Não faço questão de desenvolver o tolnetwork para ter um grande número de seguidores ou tráfego, até porque como já referi várias vezes não pretendo que este blog seja rentável. O Tolnetwork teve uma alteração de design em 2009, creio eu que para melhor.

Decidi ordenar as referências por temas, ao contrário da ordenação cronológica. Inicio precisamente por um dos temas principais que abordo, o Adsense.

Adsense: foi um ano bom no que respeita a novas funcionalidades. Foi disponibilizada uma nova interface e passou a ser possível por exemplo mudar o tamanho e a fonte dos anúncios. Foram feitas também referências a um novo algoritmo que optimiza a leitura da página e colocação dos anúncios de forma mais contextualizada. Os termos de utilização e politicas de privacidade também sofreram alguns ajustes.

O pior mesmo continua a ser a impossibilidade de usarmos todas as novas funcionalidades no nosso mercado, sendo que a maior parte delas são sempre testados nos países de língua inglesa, uma delas é o category filtering. As estatísticas também passaram a ser mostradas em Euros. Em termos gerais, 2009 foi melhor do que 2008 em relação aos rendimentos, mas verifico que apesar do maior tráfego e mais impressões de anúncios, o número de clicks diminuiu bastante. Isto pode ter sido causado por uma diminuição de anunciantes relevantes em determinadas áreas, o que pode contribuir para menor interesse dos utilizadores, mas também pode ter sido ad-blindness, estando os utilizadores muito menos interessados neste tipo de publicidade.

SEO: foi o ano do lançamento do Bing e com isso abre-se uma nova área ou possibilidade de optimização e tráfego para os sites. A disponibilização das webmaster tools do Bing facilitaram o processo de submissão de sites e embora não sejam tão completas como as do Google, são para já suficientes.

Fiz referência à alteração dos hábitos de pesquisa e como isso pode influenciar o tráfego para o nosso site ou as keywords para as quais devemos optimizar. Outra área cada vez mais importante é a optimização de imagens e o guia que publiquei é certamente bastante completo. Outro assunto bastante falado na blogosfera foi relativamente ao Pagerank Sculpting e ao uso de nofollow nos links internos. Não me preocupei muito em alterar as minhas estratégias em relação a este assunto, a não ser eventualmente usar as funcionalidades usadas de base por alguns plugins WordPress. Publiquei também um artigo sobre os 10 erros de SEO a evitar, que poderá ajudar muita gente a conseguir bons resultados, ou pelo menos não estragar o trabalho desenvolvido anteriormente.

Em relação aos meus sites, passei a seguir os principais rankings nos vários motores de pesquisa com uma ferramenta do SEOMoz.

Programas de afiliados: este ano apostei mais neste tipo de sistema. Por um lado, porque em sites de nicho e em alguns em particular se revelaram bastante rentáveis. Por outro lado precisei de substituir alguns espaços antes reservados ao Adsense por banners de afiliados. Experimentei novos sistemas e usei outros já bastante conhecidos. Os melhores resultados foram obtidos com Netaffiliation e EbayPartnerNetwork. Uso também Zanox, Tradedoubler e mais alguns que operam apenas no mercado de língua inglesa.

Relativamente à Netaffiliation foi bom constatar que melhorou o seu site e que continua a ter um grande número de campanhas. No entanto neste final de ano foram muitas as campanhas que desapareceram ou então as empresas decidiram simplesmente suspender as campanhas. Aguardo pelo inicio de 2010 para ver se algumas destas retornam ou se simplesmente se mudaram para outros sistemas. Um dos problemas da Netaffiliation continua a ser o atraso nos pagamentos. Continuo a ter campanhas que nunca foram pagas e os anunciantes saíram já da Netaffiliation…

Relativamente ao EPN, foi mudado também o formato de pagamento para Quality Click Pricing. Embora ainda seja muito recente, não tenho ainda opinião formada sobre este novo sistema, que umas vezes se revela melhor e noutras pior. Não perdi no entanto tempo em alterar os sites onde uso o EPN, continuando a funcionar como passive income.

Conteúdos: os conteúdos de qualidade continuam a ter muita importância. Foi uma das áreas em que mais me foquei este ano, não só na qualidade, mas também na quantidade, porque tive que escrever para vários sites e de temáticas bastante distintas. Continuei a apostar em subcontratar o serviço, sempre que tinha menos capacidade para o fazer e conseguia uma boa qualidade no serviço. Nesta área, apostei também na escrita para promover campanhas por ex da Netaffiliation.

WordPress: cada vez mais é a minha plataforma de eleição para fazer sites e desenvolver novos projectos. As novas versões lançadas do WordPress trouxeram também novas funcionalidades que permitem acelerar por ex a publicação de imagens. Foi também um ano em que surgiram novas tendências a nível de design e funcionalidades, com os temas Premium a merecerem destaque muitas vezes como por ex os disponibilizados pela Eleganthemes. Os plugins disponibilizados têm também permitido implementar funcionalidades bastante interessantes para enriquecer qualquer projecto.

Eventos: nesta área foi importante a realização da OMExpo em Lisboa, pelo contacto que estabeleci com outros webmasters e bloggers e com as próprias empresas que desenvolvem o marketing online como principal actividade. Estive presente também no Ignite do Porto. Ao nível de cursos, estive presente num sobre Adwords.

2010: Não tenho para já novos projectos para 2010, a não ser melhorar e desenvolver os principais sites que já tenho. Há contudo dois relativamente recentes em que vou continuar a focar. 2010 será também um ano em que vou focar mais na venda directa de publicidade como forma de rentabilização e abordarei sem dúvida este tema no próximo ano. Não queria deixar passar a ocasião para referir que fui distinguido num artigo do mais-trafego como um dos 21 Bloggers mais influentes da Blogosfera portuguesa. Obviamente isso vale o que vale, mas é importante como forma de reconhecimento do trabalho e da partilha que faço.

Um bom 2010 para todos.

Templates WordPress Premium 7

No mês de Julho tive oportunidade de evoluir alguns projectos, mas também planeei e desenvolvi vários de raiz, em áreas diferentes das que abordo habitualmente. A escrita de conteúdos foi uma das tarefas que me consumiu mais tempo.

Aproveitei para testar também uma outra empresa que está a iniciar na área de escrita de conteúdos em Português e que deverei abordar aqui brevemente num artigo específico.

Na área do design não arrisquei muito nos novos sites. Uso alguns templates que possuem uma boa conversão em termos de locais para publicidade e podem ser facilmente customizadas, por isso não mudei muito. Procurei também num caso específico templates já traduzidos, neste caso foi no blog WPThemespt.com onde se encontram algumas templates traduzidas.

Recentemente tenho também prestado bastante atenção aos templates para WordPress que têm sido disponibilizados no ThemeForest. Para além de a quantidade ser grande e o preço baixo (entre $20 e $35) têm aparecido muitos templates realmente inovadores, como se pode verificar no artigo 10 wonderful WordPress Themes that are setting the trends. No ThemeForest os templates estão bem organizados e as características e funcionalidades de cada um está bem descrita. Passei algum tempo a escolher o template para um próximo projecto, mas ainda não decidi totalmente.

Outros dois sites excelentes com temas Premium e que visito regularmente são o ElegantThemes e o Woothemes. Qualquer um destes 3 sites está entre os melhores para se escolherem templates wordpress pagas de qualidade. Recomendo a visita.

Linkbuilding – novas tendências 4

Set28

As alterações constantes dos algoritmos dos motores de pesquisa (Google) e a necessidade de subir rapidamente nos rankings, levam a que novas formas de se conseguir links relevantes sejam procuradas.
A compra de links está catalogada pelo Google como uma prática incorrecta, por isso tenho-me cruzado com algumas práticas mais recentes que não tendo um retorno financeiro directo, acabam por ser vantajosas para ambas as partes.

Esta nova pratica cada vez mais comum é a criação de conteúdos em troca de links. Todos sabemos a importância de ter conteúdos originais ou de conseguir um ritmo de criação de conteúdos relativamente frequente.

Vi até ao momento duas abordagens diferentes:

1 Empresa pede um link no nosso site numa página específica. Em troca fornecem um artigo de temática à nossa escolha com 3 links que pode ser usado por nós num site qualquer ou submetido para 3 a 5 sites de artigos. Para além dos backlinks conseguidos nesses sites, esses artigos podem ainda ter potencial para serem publicados por outros webmasters, ganhando-se ainda mais links.

2 Empresa estabelece contacto oferecendo 10 artigos originais sobre os temas à nossa escolha. 3 desses artigos contém um link para o site dessa empresa. A única condição que impõe é publicar os artigos com links num prazo de 7 dias. Com os restantes podemos fazer o que quisermos.

Até ao momento estas solicitações foram de serviços em língua Inglesa. Os conteúdos criados possuíam uma qualidade elevada, tendo verificado que eram feitos por empresas especializadas em conteúdos ao serviço da empresa que pede os links. Sabendo que o preço de um artigo original entre as 400 a 500 palavras pode oscilar entre os $5 a $15, pode-se conseguir assim links relativamente baratos, sendo que os links são permanentes.

Pag 1 de 212

ganhar dinheiro

  • tirei tudo
  • Já não promovo nada
  • Nem mesmo ebay
  • TLA muito menos
  • nothing

Sobre mim

O meu nome é Rui Augusto e aqui neste blog partilho conhecimento, experiências e opiniões sobre temáticas ligadas à rentabilização e promoção de sites. Mais detalhes podem ser verificados na pagina sobre o tolnetwork.com

twitter feeds flicker twitter Dihitt

tolnetwork.com is powered by WordPress and Customized FREEmium Theme.
developed by Dariusz Siedlecki and brought to you by FreebiesDock.com